terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

NENA DANTAS DIZ QUE ATERRO SANITARIO DO SERIDÓ É DE GRANDE IMPORTÂNCIA SOCIAL E AMBIENTAL


Nena Dantas mais Prefeitos de 22 municípios da região do Seridó estiveram reunidos nesta terça-feira (19) em Caicó. A reunião foi coordenada por técnicos do Governo do Estado e discutiu principalmente a questão do Consórcio de Resíduos Sólidos do Seridó, com a aprovação dos seus estatutos, além de assuntos extra-pautas como a união de todas as prefeituras na luta pela Universidade Federal do Seridó. De acordo com técnicos da Secretaria de Meio Ambiente, o Consórcio formado pelos 25 municípios do Seridó tem uma importância muito grande na gerência de todas as ações de resíduos, não só o aterro sanitário, mas nas questões sociais, na coleta seletivo, na educação ambiental e que eles possam erradicar seus lixões até 2014. O Governo do Estado garantiu que até o mês de julho deste ano todo o projeto de instalação do Aterro Sanitário do Seridó estará pronto, e que os recursos de 22 milhões da emenda destinada pelo senador Garibaldi Filho estão garantidos para a construção do mesmo. Cerca de 96% dos municípios do Estado - e a realidade da região do Seridó não é diferente -, mandam seus lixos para verdadeiros lixões, onde já existiam anteriormente aterros controlados que devido a falta de condições financeira e técnica dos municípios eles se tornaram lixões.

6356

Presidente do Consórcio Roberto ao lado de técnicas do Governo do RN Os prefeitos têm pressa no funcionamento do Aterro Sanitário, já que muitos têm enfrentado ações do Ministério Público Federal, algumas delas com a aplicação de multas altíssimas por ainda não terem eliminado de seus municípios os famosos lixões a céu aberto. “Nós estamos respondendo em face de não termos o Aterro Sanitário. Na hora que passarmos a ter este aterro, certamente estas ações serão arquivadas e conseqüentemente os municípios deixarão de pagar as multas”, defende Genilson Medeiros, prefeito de São Fernando. Todos os presentes na reunião entenderam que a presidência do Consórcio deveria permanecer com o prefeito de Caicó. Para Roberto Germano é mais um desafio a ser encarado em prol do Seridó. “Sabemos que é uma responsabilidade grande e vamos ter que buscar soluções diante da pressão do Ministério Público para cumprirmos os TACs. A nossa função enquanto presidente é junto a todos os órgãos colocar o mais rápido possível esse consorcio pra funcionar, definindo projetos com o Governo e as áreas de atuação de cada município”, disse Germano.