quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

EMPRESA DE ÔNIBUS JARDINENSE DO CAOS.


MATÉRIA ENVIADA POR: FRANCISCO ASSIS "TOUCHÊ"



Ou eu sou muito chato, ou talvez muito diferente da grande maioria das pessoas quando o assunto é lutar por direitos. 


A inércia dos serviços oferecidos pela Empresa Jardinense LTDA, parece não afetar a vida daqueles que pagam pra usufruir dos serviços que esta se coloca a oferecer. São ônibus velhos, sujos, maus tratos por parte de alguns funcionários, mesmo assim pouco se reclama, pouco se faz. 

Esta semana, mais uma vez, fui vítima da incapacidade da Jardinense em prestar um bom serviço e conto com a riqueza dos detalhes o que aconteceu. 

Ao chegar à rodoviária em Natal fui surpreendido com um aumento nas passagens de 5%, até ai tudo bem, pois gasolina subiu, salário mínimo, etc. Mas a maior surpresa foi chegar a plataforma e um ônibus com ar condicionado ter sido posto no horário do “pinga”, ora, de duas uma, ou o que faria a viagem quebrou, ou aquele ônibus também estaria com problemas. A opção 2 estava correta. O ônibus tinha ar condicionado, mas este estava quebrado, e o pior é que estes ônibus com ar só tem janelas de emergência, ou seja, estávamos em algo semelhante a uma cuscuzeira, e o mais engraçado de tudo é que todo mundo se abanava, assopravam, crianças choravam, mas ninguém reclamava. Foi quando o chato, doido, ou sei lá que títulos me dão, perdeu a paciência e foi perguntar ao motorista como íamos viajar naquelas condições. Ele disse que não tinha o que fazer. 

Neste momento, já estávamos passando por Parnamirim e nossas passagens já tinham sido fiscalizadas em 02 momentos, na entrada do ônibus por uma senhora e dentro do ônibus por um cobrador. Foi quando em Macaíba, subiu um fiscal da empresa para mais uma vez fazer a checagem se todos estavam com passagem, etc. Eu não me contive, e gritei: Pode parar por ai! Quer dizer que pra fiscalizar roubos, desvios, ou qualquer outra maracutaia, vocês têm funcionários, mas para verificar que este ônibus não tem a mínima condição de viajar, vocês não tem ninguém? Você não vai fiscalizar nada, você vai resolver nosso problema, vai encontrar alguém que abra estas janelas, pois caso contrário no primeiro posto da Polícia Rodoviária eu vou descer e denunciar o descaso de vocês. O fiscal pediu pra eu me acalmar e chegando a Bom Jesus procuraram alguém que abriu as janelas. 

Realmente não sei o limite e até quando as pessoas aguentam ser exploradas, feitas de bobas, ou enganadas, eu apenas sei o meu!