segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Desafio para os novos prefeitos no Seridó: a conservação do Meio ambiente

Ações e políticas para o meio ambiente é algo que os novos prefeitos do nosso Seridó, em especial, Currais Novos não poderá fugir. A conservação do Meio ambiente sempre se parece utópico e distante.


No entanto, o tempo de que os municípios deveram extinguir seus lixões e dá lugar a aterros sanitários está chegando, além da Lei Complementar 140. Em que dividira a tarefa do licenciamento ambiental entre União, Estados e municípios.

Mas, como defender e cuidar do nosso meio ambiente se nem ao menos conhecemos nosso fauna e flora? Nas escolas aprendemos mais da fauna e flora de outros Estados e países do que nossa própria biodiversidade. A prova disso, é só pedir a um aluno do ensino fundamental ou médio para dá um exemplo de cadeia alimentar e verá que na maioria dos casos serão citados espécimes da flora e fauna de fora.

A duas décadas surgiu o que se conhece como “Síndrome da Floresta Vazia”. Essa Síndrome é o empobrecimento da biodiversidade. E foi em 1992 que Kent Redford, o irmão do ator Robert Redford, da série “Indiana Jones”, dissertou sobre o esvaziamento e empobrecimento da biodiversidade em ambientes como as florestas tropicais. Essa discute sobre a Fragmentação das florestas e a caça ilegal de animais silvestres como sendo as suas principais causas.

Apesar desta síndrome associar as florestas ela pode ser aplicada ao nosso bioma Caatinga. Portanto, conhecer nossa biodiversidade é o primeiro passo para qualquer ação voltada a conservação do nosso ambiente silvestre local, afinal muito se fala em conservar a Caatinga curraisnovense, mas para proteger que espécies? Esse é o desafio de nossos governantes, pesquisadores e ativistas. Continuar investindo em pesquisas científicas nessa área para se conhecer o que se deve ser conservado.

A questão é que se gasta muito para se ter uma melhor compreensão da quantidade de estrelas existentes na galáxia do que da quantidade de espécies que existem na Terra. Mesmo sabendo o quanto a biodiversidade é vital ao uso da medicina, de materiais de construção e na indústria alimentícia.

FONTE: PORTAL DO SERIDÓ