segunda-feira, 16 de abril de 2012

MATÉRIA ENVIADA PÔR RONALDO MACÊDO


A PARTILHA DO BOLO


             O mundo contemporâneo absorve de tudo um pouco e prolifera este pouco para as nações, principalmente as desprovidas de mentalidade e raciocínio lógico. É assim, que a população carente atual vive sempre das migalhas dos ditos poderosos. Poderosos estes que devem e não pagam; contas mínimas na bodega, no salão de beleza, na manicure, no bar e ainda sonega impostos, e ainda tem os que gostam de cobrar e detestam pagar.

Essa realidade não está distante de nós, ou do nosso município, ela está pertinho da gente, fungando no cangote, e os inteligentes, muitas vezes, engolem no seco vendo tudo isso passar diante dos nossos olhos e fingindo que tudo esta perfeito só para não perder a amizade, ou o apadrinhamento, ou aquele empreguinho.
Algo interessante que está acontecendo nas cidades interioranas, é a parceria entre política e religiões. Esta ta dando o que falar. O absurdo chega ao ponto de político virar “santo”. O cara desvia, rouba, sonega, finge que ajuda a população e ainda vira ministrantes de igrejas, reza, encomenda corpo, batiza, faz casamento e ainda faz pregação. - _ E o ministrante? Assiste a tudo, esperando a gorjeta no final, que geralmente vem em forma de donativo.

_Quer um exemplo?
Nas cidades interioranas acontecem os tradicionais leilões. Cultura que antigamente fazia parte da prole mais humilde, hoje se tornou patamar da politicagem desenfreada. Um pobre vai ao leilão apenas para olhar o circo pegar fogo, pois ninguém tem um mil reais para dar num simples bolo de ovos com um buraco no meio ou coberto com a velha cobertura de chocolate ou mesmo a pasta americana.
Infelizmente tanto um lado como o outro precisa dos aplausos do povo. Um lado quer dinheiro enquanto que o outro quer o voto dos lambe botas, dos puxa sacos, (vulgo babão), para permanecer no poder e dele usufruir. Sim, pois se política fosse ruim ninguém queria reeleição. Não é verdade? _ Pois bem, assim caminha a humanidade: desprovida de cultura, respeito por se mesmo, falta de perspectiva no futuro, sempre debaixo da mesa esperando as migalhas do bolo com o buraco no meio com a cobertura a seu gosto.
O ridículo ainda é o pacto firmado entre estes dois grupos. Um deveria pregar a humanidade, humildade, unidade, benevolência, união enquanto o outro deveria pregar a democracia, o progresso, a dignidade humana, seus direitos e deveres. _ Tudo balela! O importante é encher os bolsos e o povo... Bem, o povo é povo, ou seja, quase nada diante dos que mandam, e ainda, obedece quem tem juízo.
    MORAL DA HISTÓRIA: Quem quer realmente ajudar, não olha a quem e nem tão pouco precisa de testemunha. Os cristãos que realmente ajudam as suas doutrinas chegam ao ministrante e faz sua doação, do tanto que pode e quer: um, dois, dez reais ou até mesmo um mil reais, não precisa estar em um lugar público escandalizando e brincando com a consciência humilde do povo. Povo este que muitas vezes são forçados a viverem estes constrangimentos, que lutam por suas vidas, suas famílias, seus ideais e sua felicidade. Acho isso imoral, desprezível, ridículo... E mais desprezível e ridículo é quem aceita e compactua com estes métodos enganosos de fingir bondade e dar um testemunho falso de sua fé.

(Por. R. Macêdo).