sexta-feira, 23 de março de 2012

FOLHA DA GRAVIOLA "CURA" O CÂNCER


FOLHA DE GRAVIOLA - 
A folha de graviola cura câncer. Segundo Evandro Romualdo, um amigo lhe confidenciou a seguinte história:
Que sua esposa após descobrir um câncer no seio que chegou a se espalhar pelo seu corpo, estava praticamente com os dias de sua vida contados. Foi então, que descobriu uma publicação sobre o CHÁ DE GRAVIOLA. A notícia estava em um site e o título do artigo é CANCER MAGIC BULLETDISCOVERED, but drug giants hushes it up! - 10,000 times stronger thanchemotherapy with no adverse side effects...Na reportagem eles citam o quanto o extrato da GRAVIOLA é 10.000 vezes mais forte do que a quimioterapia por drogas, e sem efeitos colaterais. Citam também a árvore como sendo encontrada na floresta Amazônica. Enfim, a esposa dele também tomou o chá, e em dois meses não tinha mais nenhuma seqüela ou ferida. Hoje está viva e saudável!
COMO FAZER O CHÁ:

Pôr 1 litro de água a ferver, depois de ferver pôr algumas folhas de graviola picada ( 2 colheres de sopa) deixar ferver 2 minutos e abafar cerca de 10 minutos, coar e beber quente ou frio, consoante o gosto.



GRAVIOLA CONTRA O CÂNCER
          Suas várias utilidades na medicina natural têm sido validadas através de pesquisa científica. Diversos estudos de diferentes pesquisadores demonstraram que a casca assim como as folhas possuem atividades hipotensivas, antiespasmódicas, anticonvulsivantes, vasodiladoras, relaxantes muscular, e cardiodepressivas em animais. Pesquisadores verificaram propriedades hipotensivasas em ratos, novamente em 1991 nas folhas da graviola.

Vários estudos realizados em todos este anos, demonstraram que a folha , casca, raíz , caule e extrato da sementes da graviola, são antibacterianos in vitro contra numerosos patógenos,4-6 além de propriedades antifúngicas na casca.

As sementes da graviola demonstraram possuir propriedades antiparasitas como resultado de um estudo feito em 1991 e o extrato da folha mostrou ter atividade contra malária em dois estudos realizados em 1990 e 1993 e antividade antitumoral para mais de 12 tipos de câncer pela Universidade de Purdue no estado de Indiana EUA 1995/98/99. As folhas, raízes e principalmente as sementes da graviola demonstraram propriedades inseticidas, em um estudo realizado em meados de 1940.
Em um programa de seleção de plantas realizado pelo Instituto Nacional do Câncer dos EUA em 1976, tanto as folhas quanto o caule da graviola mostraram atividades citotóxicas contra células cancerígenas. Pesquisadores acompanham estes achados desde então.
Muitas das pesquisas em câncer com a graviola têm como foco uma nova classe de fitoquímicos conhecida por acetogeninas Annonaceous . A Graviola produz estes componentes naturais na sua folha, caule, casca e semente das frutas. Três grupos de pesquisa diferentes isolaram estas substâncias acetogeninas da graviola, as quais têm demonstrado além de propriedades antitumorais e anticancerígenas significantes, toxicidade seletiva contra vários tipos de células cancerígenas (sem prejudicar células saudáveis).
Os resultados destas pesquisas foram publicados em oito estudos clínicos. Muitas das acetogeninas demonstraram toxicidade seletiva às células tumorais , em baixas dosagens- tão baixas quanto 1 em 1 milhão. Quatro outros estudos foram publicados em 1998; e além de outros fitoquímicos específicos as acetogeninas demonstraram as mais fortes propriedades anticancerígena, antitumoral e antiviral.
Além disso, acetogeninas específicas da graviola têm sido reportadas como seletivamente tóxicas para os seguintes tipos de células tumorais : tipos celulares de carcinoma de pulmão; células de tumor sólido de mama ; adenocarcinoma de próstata ; células de carcinoma pancreático; células de adenocarcinoma de cólon; tipos celulares de câncer de fígado; células de linfoma humano; e adenocarcinoma de mama resistente a múltiplas drogas.
As acetogeninas Annonaceous são as únicas encontradas na família Annonaceae (à qual a graviola pertence).
Em geral, várias acetogeninas Annonaceous na família das plantas têm sido documentadas com atividades antitumoral, antiparasita, pesticida, antiprotozoária, antiséptica, anthelmíntica, e antimicrobiana.

AQUI FICA A DICA PARA QUEM PRECISAR, SE PUDER DIVULGUE, QUEM SABE ASSIM
CONSEGUIMOS AJUDAR MAIS PESSOAS COM ESSA NOVA DESCOBERTA .
ABAIXO SEGUEM OS SITES DE CONSULTA:
American College for the Advancement in Medicine: http://www.acam.org/
American Academy of Environmental Medicine:http://www.aaem.com/
International College of Intergrative Medicine:http://www.icimed.com/ 
Meridian Valley Laboratory:http://www.meridianvalleylab.com tradutor inglês para português.http://www.bussolaescolar.com.br/tradutor.htm